Setembro Amarelo – O suicídio como problema social

Campanha Setembro Amarelo aborda a temática do suicídio.

Segundo o relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde) a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio. Apesar deste número, o tema ainda é considerado um tabu que silenciosamente atinge milhares de vidas, tanto a vida do próprio suicida, como também a dos familiares envolvidos. Esta é a segunda maior causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos em todo o mundo, no entanto, a faixa etária mais atingida são os idosos com mais de 70 anos.

No Brasil os casos crescem ano após ano e já somos o quarto país na América Latina com maior número de casos de suicídios segundo a OMS. Muitos desses casos podem ser evitados se parentes, amigos e familiares observarem alterações de comportamentos nas pessoas de seu convívio tais como: depressão, uso de drogas, desânimo acentuado, isolamento e mudanças bruscas de humor entre outras.

Às vezes pessoas próximas de nós, manifestam comportamentos assim. Neste caso, o recomendado pelos médicos é encaminhar a um psiquiatra, mas é muito importante o apoio da família. As famílias podem procurar os CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) ou CVV (Centro de Valorização da Vida). Basta ligar 144 para receber atendimento gratuitamente, 24 horas por dia.

Fonte

http://veja.abril.com.br/saude/por-que-precisamos-falar-de-suicidio-com-urgencia/

http://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2014/10/6-sinais-de-comportamento-suicida.html